23 de Abril de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

História

Situada no 4º piso da ala nascente do monumento, a Biblioteca ou Casa da Livraria, como também era chamada, ocupa a mais nobre e vasta de todas as salas do edifício, em forma de cruz com c. de 85 m de comprimento e 9,5 m de largura.  Pavimentada em pedra liós de varias cores, tem no centro uma abóbada apoiada sobre quatro arcos, fechada sobre uma pedra-mármore onde se vê esculpido um rosto humano representando o sol.

 Motivo Central

Para a constituição do seu acervo o Rei Magnânimo enviou ao estrangeiro emissários especiais encarregues de adquirir tudo o que de melhor e de mais novo aí se imprimisse. A Biblioteca possui de c. de 30.000 volumes, compreendidos entre os séculos XV e XIX, abrangendo temas tão diferentes como a Teologia, a Sermonária, o Direito Canónico e Civil, a História, a Geografia e Viagens, a Matemática, a Arte e a Música, a Medicina, etc. Todo este acervo se insere no contexto do aperfeiçoamento da imprensa até ao século XVIII, importante factor de desenvolvimento e difusão de ideias. Tem ainda considerável interesse a colecção de manuscritos, de que se destacam os Livros de Horas iluminados do séc. XV e ainda o núcleo de partituras de músicos portugueses como João de Souza Carvalho, Marcos Portugal ou ainda Baldi, entre outros.  


A atestar a importância desta colecção, uma Bula concedida pelo Papa Bento XIV em 1754, para além de proibir, sob pena de excomunhão, o desvio ou empréstimo de obras impressas ou manuscritas sem licença do Rei de Portugal, concede-lhe autorização para incluir no seu acervo livros proibidos pelo Index.

     
 
A Biblioteca, cuja arrumação actual teve início em 1809, foi organizada por Frei João de Santa Anna segundo o que chamou a Regra das 4 Ordens. É curioso verificar que após um trabalho exaustivo e metódico do frade, de que resultou um catálogo manuscrito em oito volumes, as normas utilizadas para a organização do mesmo se mantêm com grande actualidade – entrada principal feita por apelido, obras anónimas têm entrada pelo título, bem como a utilização de remissivas.

 

Lista de Conteúdos

  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé